Fios de sustentação para flacidez

Você tem flacidez leve a moderada, está insatisfeita, mas tem medo de realizar uma cirurgia plástica?  Reparou que com o envelhecimento da pele a gordura das maçãs do rosto se concentram na parte debaixo, há perda de volume e de contorno facial e presença de rugas?

Os fios de sustentação – de ácido polilático ou de polidioxanona (PDO) – podem ser indicados para tratar áreas afetadas pela flacidez como bochechas, sobrancelhas, linha mandibular e pescoço. Eles são reabsorvíveis e tratam o problema de forma minimamente invasiva. A indicação para qual deles é indicado para cada caso depende de avaliação médica.

Fio de ácido polilático

O procedimento é realizado com anestesia local e sem cortes. O fio é inserido entre a pele e a camada de gordura subcutânea com o auxílio de uma agulha muito fina. Os fios contam com cones ao longo de sua extensão, que “engacham” nos tecidos no momento em que o dermatologista o puxa sob a pele. Esse movimento acaba resultando na suspensão da pele. Após a aplicação há estímulo gradual e natural das células de colágeno, fibra que dá sustentação ao tecido cutâneo, por até dois anos.

Fio de PDO (polidioxanona)

O procedimento com fios de polidioxanona (PDO) também é realizado com anestesia local e sem cortes. O fio é inserido entre a pele e a camada de gordura subcutânea com o auxílio de uma cânula fina. O fio de polidioxanona tem um design com farpas com maior capacidade de tração e ancoragem. Após a aplicação há estímulo gradual e natural das células de colágeno, fibra que dá sustentação ao tecido cutâneo, por até dois anos.

Saiba mais sobre