Da cor do pecado o ano inteiro

Os autobronzeadores são uma opção ao sol para quem quer se livrar do “branco escritório” e ficar com o bronzeado típico do verão.  Com o avanço da tecnologia na área de cosméticos, esses produtos se tornaram uma boa alternativa, e das mais seguras – para dizer o mínimo, previnem o fotoenvelhecimento e o câncer de pele.

Hoje eles são mais fáceis de aplicar, têm cheirinho agradável, garantem uma cor uniforme bastante próxima à conquistada com a exposição solar. Você deve se perguntar como os autobronzeadores funcionam. A dermatologista Alessandra de Melo explica que a maior parte contém a dihidroxiacetona (DHA) como princípio ativo. Essa substância reage com as proteínas da camada superficial da pele, que resulta na produção de pigmentos conhecidos por melanoidinas, que é o que produz aquele tom dourado, similar a cor produzida pelo sol. Entretanto, diferente da melanina, pigmento natural da pele, as melanoidinas não protegem suficientemente contra a radiação UV. Portanto, o autobronzeador, não dispensa o uso de filtros solares.

Para não correr o risco de ficar manchada, é preciso seguir corretamente o passo-a-passo da aplicação. Um ou dois dias antes é preciso depilar ou descolorir os pelos. Antes de fazer o procedimento também é preciso esfoliar o corpo e o rosto para eliminar as células mortas e garantir uma tonalidade mais homogênea. Certifique-se que de que a pele está bem seca e não use mais nenhum produto. Comece passando o autobronzeador pelos pés e vá subindo para evitar marcas de dobrinhas na barriga. Como os cotovelos e joelhos tendem a ficar mais escuros, controle a quantidade do produto nesses locais. Para aplicar nas costas, o ideal é pedir ajuda. No rosto, o produto não deve ser usado sobre as sobrancelhas. Já ao redor dos olhos e no buço, dê batidinhas com a ponta dos dedos, usando só um pouquinho do cosmético. Imediatamente após terminar de passar o autobronzeador lave as mãos e esfregue as unhas com uma escovinha. Após uma hora, pode se vestir e oito horas depois já é possível tomar banho, mas sem esfregar a bucha ou a toalha no corpo. A contraindicação é para quem tem alergia ao produto.

Saiba mais sobre