Sabe aquelas manchinhas despigmentadas que surgem, principalmente, nos braços e pernas, e afetam muito autoestima do paciente? Mais conhecidas como sardas brancas, cujo nome científico é leucodermia gutata ou leucodermia solar, ocorrem pela ação cumulativa dos raios solares sobre os melanócitos (células responsáveis pela pigmentação da pele), fazendo que percam a capacidade de produzir melanina com o tempo. As primeiras marcas podem aparecer muitos anos após a exposição solar desprotegida.

Até pouco tempo atrás, não havia muito o que fazer para tratar o problema. Porém, a medicina evoluiu e novas técnicas de tratamento de lesões cutâneas foram sendo descobertas e utilizadas. Alguns desses procedimentos são o laser fracionado e a Microinfusão de Medicamentos na Pele (MMP®). O laser é capaz de impulsionar o melanócito e a produção de colágeno, enquanto que na MMP® é realizada a microinfusão de medicamentos que estimulam a pigmentação das lesões.  Para complementar o tratamento, é indicado o uso regular de filtros solares, evitar exposição solar nos horários entre 10h e 16h, e se proteger com barreiras físicas, como roupas, chapéus e guarda-sol.

Saiba mais sobre