Pós-gravidez: procedimentos ideais para esta fase

Após a gravidez, os tratamentos estéticos ajudam na recuperação da silhueta, mas é importante lembrar que o corpo da mulher precisa de um tempo para se recuperar e que, antes de iniciar qualquer procedimento é avaliado se a paciente está amamentando, pois alguns são invasivos e não recomendados para as lactantes.

FLACIDEZ

Ácido Polilático – é um estimulador de colágeno, considerado um grande passo no tratamento da flacidez corporal. Ideal para ser feito no abdômen, após o parto.  São indicadas três sessões realizadas com intervalos de um mês. O resultado começa a aparecer a partir de 30 dias, mas o colágeno continua a ser estimulado por até 20 meses.

Radiofrequência monopolar volumétrica –  é indicada para flacidez corporal. O tratamento emite ondas de calor, que agem nas camadas mais profundas da pele, reestruturando as fibras de colágeno.

ESTRIAS

Microagulhamento e laser ultrapulsado – o microagulhamento e o laser ultrapulsado podem ser feitos juntos ou separadamente. O microagulhamento é um tratamento em que são usadas diversas agulhas esterilizadas e de aço cirúrgico dispostas em um rolo, para facilitar sua aplicação. Ele provoca pequenas punturas, que fazem a pele entrar em processo de regeneração e aumenta a produção de colágeno. Já o laser ultrapulsado atinge as camadas mais profundas da pele, renovando a área afetada.

Preenchimento – as estrias antigas podem ser preenchidas. O preenchedor é escolhido pelo dermatologista e aplicado nas depressões, nivelando as lesões atróficas, estimulando a produção de colágeno e deixando a pele mais firme e uniforme do que antes do tratamento.

Queda de cabelo pós-parto

Por causa das alterações hormonais, há um maior crescimento do cabelo durante a gravidez. Porém, após o parto, os cabelos começam a cair, num processo chamado de eflúvio telógeno, que é fisiológico, ou seja, esperado. De acordo com a dermatologista Alessandra de Melo, o fato é percebido, geralmente, por volta do terceiro mês após o parto, mas algumas mulheres podem notar uma queda maior antes ou depois disso. Pode durar, em média, de 6 meses a 1 ano, geralmente, não precisando de tratamento. “Ainda assim, medicações podem ser usadas para fortalecer os fios e repor nutrientes, indicados pelo médico”, explica a especialista.

 

Saiba mais sobre