Melasma: prevenção é um caminho

O melasma atinge muitas mulheres e pode ser agravado durante a gestação. Ele geralmente aparece nas bochechas, na testa e no buço, mas também pode surgir em outras áreas como o colo e os braços.  Apresenta manchas de coloração amarronzada que acabam incomodando a aparência de quem deseja uma pele uniforme e bem iluminada.

Ainda nã00o foi totalmente esclarecida a causa do aparecimento do melasma. O certo é que a exposição aos raios ultravioleta estimula a atividade dos melanócitos (células especializadas na produção de melanina, pigmento que confere cor à pele), e a melanose (acúmulo de melanina nos tecidos). Prova disso é que, em geral, as lesões características do melasma poupam as áreas do corpo menos expostas ao sol.

Existem três tipos de melasma: epidérmico, quando há depósito exacerbado de pigmento na epiderme (camada mais superficial da pele); dérmico, caracterizado pelo depósito de melanina ao redor dos vasos superficiais e profundos; misto, quando há excesso de pigmentação na epiderme, na derme e em outras regiões.

Peelings clareadores e lasers auxiliam no tratamento das manchas na pele. Como preventivo pode usar um clareador, mas procure um dermatologista antes de escolher o produto. O uso de filtro solar também é recomendado como hábito na prevenção do melasma.

Na gravidez, essas manchas podem ser tratadas na gravidez com cremes clareadores que não contenham ácido retinóico ou hidroquinona. Além disso, cremes com vitamina C podem ser usados. É indicado usar sempre protetor solar com proteção UVA e UVB. Lembrando que não é possível prever qual grávida terá o problema, portanto, é preciso usar proteção solar desde o início da gestação, tomando o cuidado de retocá-lo de 3 em 3 horas.

Saiba mais sobre